Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Diplomata

Opinião e Análise de Assuntos Políticos e Relações Internacionais

O Diplomata

Opinião e Análise de Assuntos Políticos e Relações Internacionais

Por quem o ministro dobra (cont.)

Alexandre Guerra, 14.02.12

 

 

O autor destas linhas escreveu ontem este texto pressupondo que algumas análises e comentários duvidosos que se lêem e ouvem por aí partem mais de uma lógica de má vontade e de enviesamento ideológico do que propriamente de uma ignorância pura e dura. Mas hoje teve conhecimento deste triste e decadente momento durante um debate da SIC N no passado dia 10.

 

Afinal, o Diplomata pressupôs mal, porque parece que a ignorância é reinante nestas classes de "iluminados" políticos, jornalistas, académicos, comentadores e afins.

 

Por quem o ministro dobra

Alexandre Guerra, 13.02.12

 

 

Foto UE

 

Muito se tem escrito e falado sobre a mundialmente célebre conversa informal entre os ministros das finanças português e alemão, no passado dia 9, minutos antes de se iniciar mais uma reunião do Eurogrupo.   

 

Não querendo fazer qualquer análise ou comentário sobre o conteúdo da tão badalada conversa, já quanto à forma, o autor destas linhas admite alguma estranheza perante algumas (certamente sábias) opiniões que por aí se vão lendo e ouvindo.

 

Ainda hoje, por exemplo, lia-se no editorial do Correio da Manhã o seguinte: "Confesso que o que me custou mais na história da câmara indiscreta que gravou a conversa entre Vítor Gaspar e Wolfgang Schäuble não foi ouvir o que afinal todos nós já sabemos – que o programa da troika vai precisar de um reajustamento –, foi ver a imagem do nosso esforçado ministro das Finanças dobrado perante o seu homólogo alemão a agradecer, humildemente, a promessa displicente de ajuda."

 

Diplomata confessa que não compreende muito bem a indignação com a "imagem do nosso esforçado ministro das Finanças dobrado perante o seu homólogo alemão", até porque não estaria a ver como Vítor Gaspar se poderia dirigir de outra forma ao senhor Schäuble, que há mais de vinte anos, infelizmente, anda numa cadeira de rodas, consequência trágica de uma tentativa de assassinato.