Quinta-feira, 15 de Julho de 2010

Leituras

 

É um tema raramente abordado pela imprensa americana, mas extremamente importante para o mundo. Run Silent. Run Deep. Run Obsolete de Timothy Egan, na coluna Opinonator do New York Times, explica porque é que o Mutual Assured Destruction (MAD), o velhinho conceito da Guerra Fria, já não faz sentido nos dias de hoje.

 

tags:
Publicado por Alexandre Guerra às 15:56
link do post | comentar
partilhar
1 comentário:
De Pedro Silveira a 16 de Julho de 2010 às 12:06
Duas notas:

1. É interessante a sugestão de uma nova era em que as Relações Internacionais deixam de pressupor actuações racionais ("MAD makes sense in a rational world") por parte de importantes actores. Mas isso não é tão facilmente aplicável aos Estados, o que torna mais difícil o argumento de passagem de validade de aplicação da MAD.

2. Os Estados Unidos têm todo o interesse na redução de armas de destruição maciça mas para combater essa suposta irracionalidade dos actores internacionais dos novos conflitos assimétricos não chega dizer que o conceito de MAD está ultrapassado, pois mesmo que seja verdade isso não irá resolver o problema. A chave pode antes estar na reorganização de meios, em que aí sim, o investimento em meios nucleares pode ser substituído por meios mais eficazes (aviões menos velozes, aposta na intelligence, etc).

Comentar post

About

Da autoria de Alexandre Guerra, o blogue O Diplomata foi criado em Fevereiro de 2007, mantendo, desde então, uma actividade regular na blogosfera.

Facebook

O Diplomata

Promote Your Page Too

subscrever feeds

Contacto

maladiplomatica@hotmail.com

tags

todas as tags

pesquisa

arquivos